Pular para o conteúdo principal

Leilão: Joias de Sérgio Cabral são arrematadas em leilão por R$ 4,6 milhões

Informações A TRIBUNA

Alcançou R$ 4.599.317,60 milhões o leilão de barras de ouro e diamantes que eram do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Foram 20 itens, sendo cinco barras de ouro e 15 pedras de diamantes. O leilão foi realizado na última quarta-feira, determinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

As cinco peças de ouro, totalizando 4,5 quilos, foram arrematadas, em lotes distintos, por um total de R$ 1,401 milhão. Já os diamantes alcançaram R$ 3,197 milhões. A pedra arrematada pelo menor preço foi um diamante de 2,05 quilates, ao valor de R$ 101 mil. O diamante mais caro, de 4,06 quilates, foi arrematado por R$ 335 mil.

Tanto o ouro quanto as pedras foram comprados por Cabral quando ele era governador do Rio de Janeiro e acabaram descobertos durante as investigações da Operação Lava Jato. O leilão, realizado pelo leiloeiro Luiz Tenório de Paula, foi totalmente eletrônico. A comissão do leiloeiro é de 5% sobre o total arrematado, o que corresponde a cerca de R$ 230 mil.

Os diamantes e o ouro foram repatriados da Suíça, pelo Ministério Público Federal (MPF), em março deste ano, depois de um longo trâmite burocrático. Foram trazidos 4,5 kg de ouro e 27 pedras de diamantes, avaliados em aproximadamente R$ 20, que foram adquiridos com dinheiro desviado por Cabral.

A existência do ouro e dos diamantes foi revelada pelos irmãos e doleiros Marcelo e Renato Chebar em delação premiada fechada com a Lava Jato do Rio de Janeiro. Eles eram operadores do esquema de Cabral.

O dinheiro arrecadado vai para o Ministério da Justiça e o Fundo Antidrogas, com 40% do valor arrecadado destinados para estruturar e equipar as forças policiais responsáveis pela apreensão das joias. O restante vai para o Fundo Nacional Antidrogas (Funad), que dispõe hoje de R$ 92 milhões para financiar, entre outros, projetos e ações de prevenção e de combate ao tráfico de ilícitos.


Introdução inglês:

The auction of gold bars and diamonds that belonged to the former governor of Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, reached R $ 4,599,317.60 million. There were 20 items, five gold bars and 15 diamond stones. The auction was held last Wednesday, determined by judge Marcelo Bretas, of the 7th Federal Criminal Court.

The five gold pieces, totaling 4.5 kilos, were sold, in separate lots, for a total of R $ 1.401 million. Diamonds reached R $ 3.197 million. The stone with the lowest price was a 2.05 carat diamond, worth R $ 101 thousand. The most expensive diamond, of 4.06 carats, was sold for R $ 335 thousand.

Both gold and stones were bought by Cabral when he was governor of Rio de Janeiro and were eventually discovered during investigations of Operation Lava Jato. The auction, held by auctioneer Luiz Tenório de Paula, was entirely electronic. The auctioneer's commission is 5% of the total bid, which corresponds to approximately R $ 230 thousand.

Diamonds and gold were repatriated from Switzerland, by the Federal Public Ministry (MPF), in March this year, after a long bureaucratic process. 4.5 kg of gold and 27 diamond stones were brought in, valued at approximately R $ 20 that were acquired with money embezzled by Cabral.

The existence of gold and diamonds was revealed by the brothers and money changers Marcelo and Renato Chebar in an award-winning plea closed with the Lava Jato do Rio de Janeiro. They were operators of the Cabral scheme.

The money raised goes to the Ministry of Justice and the Anti-Drug Fund, with 40% of the amount raised to structure and equip the police forces responsible for seizing the jewels. The rest goes to the National Anti-Drug Fund (Funad), which currently has R $ 92 million to finance, among others, projects and actions to prevent and combat illicit trafficking.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto que o Brasil precisa

Willian Gonçalves Faria - Foto/divulgação       Willian Gonçalves faria, natural de Patos de Minas MG, 28 anos de idade, morador de São de Sebastião Distrito Federal , vem lutando pela melhoria das políticas pública de educação tem um projeto de sua autoria que percorre esferas do governo federal em prol da educação. O projeto: ”Ensino de Portas Abertas a Arte, Cultura e Inovação” – trabalhando o conceito vida consiste em introduzir dentro da matriz escolar soluções positivas junto a crianças e adolescentes apoiado pelos professores. Sendo construído em sala de aula em troca mútua de conhecimento, ou seja, o projeto consiste em inserir no dia a dia da escola ações que possibilitem tomadas de decisões com situações reais que acontecem no país. William Gonçalves Faria - Foto/divulgação  O jovem oriundo do Estado de JK, visionário igualmente ao presidente construtor da capital Federal conhecedor e experiente nas lutas e discurssões sociais por meio de ONGs e entidades representativas ecle

Moradores encontram cabeça decapitada em praça no Entorno do DF

 A  vítima foi identificada como Randerson Maximo Barbosa. A Polícia Civil do Estado de Goiás busca pelos autores do crime Por Darcianne Diogo 02/07/2021 23:29 - Atualizado Material cedido ao Correio Moradores encontraram, na noite dessa sexta-feira (2/7), uma cabeça decapitada na Praça Santa Lúcia, em Águas Lindas de Goiás — distante cerca de 48km de Brasília. Até a última atualização dessa reportagem, ninguém havia sido preso. O corpo não foi encontrado. Testemunhas relataram à reportagem que passavam pela área, quando se depararam com a cabeça. A perícia da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) foi acionada e está no local. A vítima foi identificada como Randerson Maximo Barbosa. A polícia apura a motivação do crime. Ao longo das investigações, surgiu-se a informação de que o membro poderia ser do jovem, de 19 anos, assassinado em 13 de maio. O corpo de Mateus dos Santos Sousa foi encontrado decapitado em um córrego, na região de Brazlândia, próximo à Ponte Maranata, a 200 me

GDF lança edital para construção de creche na Estrutural

O Governo do Distrito Federal (GDF) publicou no Diário Oficial DF (DODF) o edital de concorrência para a construção de um Centro de Educação para a Primeira Infância (Cepi), na Cidade Estrutural. O espaço, que terá capacidade para receber até 188 crianças, foi orçado em R$ 3,4 milhões e deverá ser entregue à população no segundo semestre de 2022. A região reivindica há anos a existência de novas creches. Atualmente, segundo o governo, cerca de 276 crianças estudam em creches conveniadas justamente por falta de espaço público. Com a construção do Cepi, que vai ser edificado na Quadra 3, Área Especial 2, no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento, o governo pretende atender as crianças em dois turnos ou em turno integral. O novo Cepi será constituído de cinco salas para atendimento à faixa etária de zero a seis anos; salas multiuso e administrativas, fraldário, lactário, sanitários, cozinha, refeitório, playground, fechamentos com gradil, portões e muro; calçadas, rampas, estacio