Pular para o conteúdo principal

Polícia Civil conclui que PMs mataram jovem

Polícia Civil conclui que PMs mataram jovem em Fortaleza 'em legítima defesa'; pai da vítima contesta


Jardeson Rodrigo Rodrigues Martins, de 21 anos, foi morto em fevereiro deste ano.


Conteúdo:

Por G1 CE

16/08/2020


A Polícia Civil do Ceará concluiu que Jardeson Rodrigo Rodrigues Martins, de 21 anos, estava na posse de uma arma de fogo e que os policiais militares que atiraram nele agiram "em legítima defesa". A família do jovem contesta essa versão, nega que ele estivesse armado e afirma que Jardeson foi morto pelas costas.


Jardeson foi baleado em uma intervenção policial no Bairro Padre Andrade, em Fortaleza, na madrugada de 13 de fevereiro deste ano.

Conforme a Polícia Civil, o 7º Distrito Policial foi o responsável por investigar uma ocorrência de pessoas armadas nas redondezas da Areninha da Lagoa do Urubu, que culminou em troca de tiros com a Polícia Militar do Ceará (PMCE).


"Durante a troca de tiros, Jardeson Rodrigo Rodrigues Martins (21), com antecedentes criminais por roubo e desacato, foi lesionado e socorrido com vida para unidade hospitalar, no entanto veio a óbito. A arma que estava em posse de Jardeson Rodrigues foi apreendida e os fatos foram apresentadas ao 7°DP", afirma a instituição em nota.

"A PCCE informa que a intervenção militar foi em legítima defesa, e as provas colhidas foram remetidas ao Poder Judiciário", afirma ainda a Polícia Civil, em nota.


Os PMs que participaram da ação são investigados administrativamente, pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD), que "instaurou procedimento disciplinar para apuração do fato na seara administrativa, estando este, atualmente, em andamento. Devido o caráter sigiloso, não é possível dar detalhes sobre as diligências adotadas".


A Polícia Militar não se manifestou sobre o caso.


Versão da família


O pai de Jardeson, Gilson Rodrigues, rebate a versão da Polícia Civil: "É mentira". "Eles [policiais militares] mataram meu filho de costas. O tiro foi na nuca. Como é que uma pessoa de costas troca tiros com a Polícia?", questiona.


"Estava tendo um campeonato de futebol, que meu filho jogava. Terminou o jogo, ficaram na Areninha. Vinha uma viatura saindo da rua 'voado'. Todo mundo que estava na Areninha saiu correndo. Eles [PMs] saíram correndo atrás do meu filho, que se abaixou atrás de umas plantas, do jardim de uma residência. Quando meu filho pensou que eles já tinham voltado, ele se levantou e saiu correndo. Eles deram só um tiro na nuca do meu filho", conta Gilson.


Um vídeo mostra o exato momento em que Jardeson é baleado de costas e cai. Nenhuma arma de fogo aparece nas imagens, e o pai do jovem garante que o mesmo não andava armado. Depois, os policiais militares retiram o rapaz do local para levá-lo à viatura e, em seguida, à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Pirambu.


Gilson reclama da Polícia Civil, que o ouviu apenas uma vez após o filho ser baleado e passou seis meses sem dar informações da investigação à família do jovem morto - ao ponto de ele saber da conclusão do inquérito policial pela reportagem.


"Como eles tomaram a decisão só para eles e não falaram com a família? Para eles, acabou o assunto. Mas para mim, não acabou. Mataram meu filho!", brada o homem, que acredita na reversão do caso na Justiça Estadual e na punição aos policiais militares.


Jardeson Rodrigues gostava de jogar futebol - como fazia pouco antes de ser morto. Em homenagem, os amigos dele proporcionaram o "último gol" ao jovem. Um jogador chutou a bola, que passou pelo goleiro, bateu no caixão de Jardeson e balançou as redes. O vídeo viralizou nas redes sociais e ganhou repercussão nacional.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Estrutural: Casal suspeito de tentativa de sequestrar crianças

Imagem de divulgação  De acordo com moradores de Estrutural Distrito Federal, nas casinhas, circulam um casal suspeito com intenção de sequestrar crianças num carro não identificado. Os boatos circulam por toda a Estrutural. Uma das vítimas contou que a mulher criminosa, desceu com uma enorme faca nas mãos, tentou sequestrar uma criança da própria mãe. Os criminosos, não tiveram êxito foram surpreendidos pelos moradores nas proximidades e fugiram. "Pessoas da cidade Estrutural e região das casinhas, está circulando um casal pela região num carro branco sem identificar a placa e modelo com intenção de sequestrar crianças, aconteceu um fato do casal criminoso querer tomar uma criança na manhã desta terça-feira (11/05), da mão própria mãe com a faca, o caso aconteceu nas casinhas na quadra 08 do Setor Oeste”, disse a moradora Gabriela Godoy. Caso se repita o crime. Denuncie: 197 - Polícia Civil e no 190 - PM-DF Redação: RANEWS e TV COMUNITÁRIA DE ESTRUTURAL - DF

Suspeito de chacina no DF é encontrado e troca tiros com a polícia

A perseguição contra Lázaro Barbosa de Sousa, acusado de matar 4 pessoas no DF, ocorre em Cocalzinho (GO), na noite deste sábado (12/6) As polícias Militar do Distirto Federal (PMDF) e de Goiás (PMGO) iniciaram, na noite deste sábado (12/6), um cerco contra o suspeito de matar quatro pessoas, em chacina ocorrida em Ceilândia, no Incra 9. Informações preliminares apontam que Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, roubou armas em uma fazenda à tarde . Ele fugiu com uma Beretta .22, uma pistola calibre .380 e 50 munições. homem foi localizado em Cocalzinho (GO) e, durante a perseguição, trocou tiros com a polícia. Informações preliminares apontam que três pessoas ficaram feridas e um refém estaria sob poder do criminoso. Lázaro é acusado de matar, na última quarta-feira (9/6), Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos. O corpo dela foi encontrado neste sábado, em um matagal. O cad

GDF: as escutas telefônicas que aterrorizam alguns secretários

  8 out 2020 informações atualizada Por Mino Pedrosa A queda de braço velada entre o Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres e o governador Ibaneis Rocha (MDB-DF), vem causando pânico em alguns secretários nos bastidores. Há algumas semanas atrás o governador tomou conhecimento de que Anderson Torres incentivava o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) a fazer um pente fino em algumas secretarias informando que a “roubalheira é grande”. Ibaneis então ficou indignado ao ponto de imaginar cortar a cabeça do secretário infiel. No entanto, foi de pronto alertado por seus fiéis escudeiros de que seria um enorme tiro pela culatra. Em uma sóbria sondagem descobriu que Torres tem em suas mãos informações das mais de quatro mil horas de gravações em escutas telefônicas nas principais secretarias como educação e saúde, autorizadas pela justiça desde 2016, ainda na gestão de Rodrigo Rollemberg. As paredes dos gabinetes dão conta do desespero que