Pular para o conteúdo principal

Taguatinga-DF: Vídeo pornográfico é exibido para alunos do 6º ano durante aula online em escola pública do DF


Segundo pais de estudantes, perfis invadiram aula e começaram a reproduzir imagens. Secretaria de Educação diz que lamenta episódio e que vai investigar 'crime cibernético'.


Por Pedro Alves e Fernanda Irineu, G1 DF e TV Globo
06/04/2021 17h21


Um vídeo pornográfico foi exibido para alunos de uma turma do 6º ano do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 11, em Taguatinga, no Distrito Federal, na tarde desta terça-feira (6). Segundo pais de estudantes, as imagens foram reproduzidas por cerca de dez minutos aos alunos, que têm, em média, 11 anos de idade.

De acordo com relatos de estudantes, a aula ocorria normalmente, quando três perfis entraram na sala virtual e começaram a exibir o vídeo impróprio, de sexo homossexual envolvendo duas mulheres. Por conta do ocorrido, as atividades foram suspensas nesta terça. As aulas na rede pública do DF têm ocorrido apenas pela internet, por conta da pandemia de Covid-19.

Acionada pelo G1, a Secretaria de Educação informou que lamenta o episódio. A pasta diz que orientou os pais e dirigentes escolares para que prestem queixa contra o crime cibernético, e afirma que a Diretoria de Informática "já realiza a coleta dos dados do sistema Google Sala de Aula e os fornecerá aos investigadores" (veja íntegra da nota ao final da reportagem).

Pais revoltados

O militar aposentado Antônio Carlos Teixeira, de 60 anos, é pai de um estudante da turma onde as imagens foram reproduzidas. Ele afirma que, conforme o filho, é a segunda vez que a situação ocorre durante as aulas.

"Na primeira vez, ele percebeu e ignoraram ele [o filho]. Mas desta vez, todo mundo percebeu", diz Teixeira.

O pai conta que entrou em contato com a direção e foi informado de que a situação foi causada por uma invasão hacker. A mesma justificativa foi dada a Hédene Rezende, de 47 anos. Ele acompanhava a aula da filha, de 11 anos, quando os vídeos foram reproduzidos.

"Eles [a direção] disseram que pessoas que estão hackeando os e-mails e estão fazendo isso", diz. Rezende afirma que foi um "sacrifício" conseguir fechar a sala de aula online enquanto as imagens eram exibidas, e que os responsáveis invadiram a reunião duas vezes.

"A situação já está difícil, e ainda tem mais essa dificuldade de percurso", diz o pai .



O que diz a Secretaria de Educação do DF

"A Secretaria de Educação do Distrito Federal lamenta profundamente o episódio ocorrido no ambiente virtual do Centro de Ensino Fundamental 11, de Taguatinga, e considera abjeta a ação de exibir conteúdo inapropriado a crianças de qualquer idade, ainda mais de forma clandestina e furtiva.
A secretaria orienta os dirigentes escolares e os responsáveis de estudantes a fornecerem todas as evidências à Polícia e a prestarem queixa contra esse crime cibernético — a Diretoria de Informática já realiza a coleta dos dados do sistema Google Sala de Aula e os fornecerá aos investigadores.
Assim como espera que os responsáveis sejam prontamente identificados e punidos exemplarmente, na forma da lei."

INFORMAÇÕES: G1 DF

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Estrutural: Casal suspeito de tentativa de sequestrar crianças

Imagem de divulgação  De acordo com moradores de Estrutural Distrito Federal, nas casinhas, circulam um casal suspeito com intenção de sequestrar crianças num carro não identificado. Os boatos circulam por toda a Estrutural. Uma das vítimas contou que a mulher criminosa, desceu com uma enorme faca nas mãos, tentou sequestrar uma criança da própria mãe. Os criminosos, não tiveram êxito foram surpreendidos pelos moradores nas proximidades e fugiram. "Pessoas da cidade Estrutural e região das casinhas, está circulando um casal pela região num carro branco sem identificar a placa e modelo com intenção de sequestrar crianças, aconteceu um fato do casal criminoso querer tomar uma criança na manhã desta terça-feira (11/05), da mão própria mãe com a faca, o caso aconteceu nas casinhas na quadra 08 do Setor Oeste”, disse a moradora Gabriela Godoy. Caso se repita o crime. Denuncie: 197 - Polícia Civil e no 190 - PM-DF Redação: RANEWS e TV COMUNITÁRIA DE ESTRUTURAL - DF

Suspeito de chacina no DF é encontrado e troca tiros com a polícia

A perseguição contra Lázaro Barbosa de Sousa, acusado de matar 4 pessoas no DF, ocorre em Cocalzinho (GO), na noite deste sábado (12/6) As polícias Militar do Distirto Federal (PMDF) e de Goiás (PMGO) iniciaram, na noite deste sábado (12/6), um cerco contra o suspeito de matar quatro pessoas, em chacina ocorrida em Ceilândia, no Incra 9. Informações preliminares apontam que Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, roubou armas em uma fazenda à tarde . Ele fugiu com uma Beretta .22, uma pistola calibre .380 e 50 munições. homem foi localizado em Cocalzinho (GO) e, durante a perseguição, trocou tiros com a polícia. Informações preliminares apontam que três pessoas ficaram feridas e um refém estaria sob poder do criminoso. Lázaro é acusado de matar, na última quarta-feira (9/6), Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos. O corpo dela foi encontrado neste sábado, em um matagal. O cad

GDF: as escutas telefônicas que aterrorizam alguns secretários

  8 out 2020 informações atualizada Por Mino Pedrosa A queda de braço velada entre o Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres e o governador Ibaneis Rocha (MDB-DF), vem causando pânico em alguns secretários nos bastidores. Há algumas semanas atrás o governador tomou conhecimento de que Anderson Torres incentivava o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) a fazer um pente fino em algumas secretarias informando que a “roubalheira é grande”. Ibaneis então ficou indignado ao ponto de imaginar cortar a cabeça do secretário infiel. No entanto, foi de pronto alertado por seus fiéis escudeiros de que seria um enorme tiro pela culatra. Em uma sóbria sondagem descobriu que Torres tem em suas mãos informações das mais de quatro mil horas de gravações em escutas telefônicas nas principais secretarias como educação e saúde, autorizadas pela justiça desde 2016, ainda na gestão de Rodrigo Rollemberg. As paredes dos gabinetes dão conta do desespero que