Pular para o conteúdo principal

Lázaro resuscita um caso parecido com de Alíce no Piauí, zona rural de Uruçuí e outros mistérios

Caso de Alice Almeida



A zona rural de Uruçuí já foi palco de um episódio banhado com requintes de crueldade. Existia, no seio do povoado Malícia, uma mulher que encantava a todos com sua expressão de rara beleza e simplicidade. A sua formosura era tão intensa que, mesmo metida na rusticidade dos afazeres do campo, não se notava em seu pranto, rastro de feiura feminina. Somava-se ao seu estereótipo a facilidade em construir amizades.

Certo dia, num baile interiorano em torno de uma fogueira, afeiçoou-se de um rapaz moreno escuro, imberbe, cabelos por cuidar e uma desenvoltura ao falar. Depois de sequências de trocas de olhares, resolveram conversar. Ela, sob o olhar firme de seus pais, mostrava-se muito tímida. A jovem já tinha 18 anos de idade e um corpo muito elegante. Do diálogo nasceu um namoro que teve como desfecho, meses depois, a união matrimonial.

A rotina da vida a dois era vivida numa casa muito rústica e não fugia à regra da vida rural. Serviços de casa e serviços da roça. E assim a vida do casal foi tentando construir raízes. Mas, uma década depois, o esposo de Alice Almeida entrou numa intensa crise de ciúmes. Ele, mesmo metidos num paiol de incertezas, já não sabia se ia para a lida no roçado ou ficava em casa botando tocaia para dirimir suas dúvidas. Às vezes, com os pensamentos voltados para a fase inicial das relações, pensava em tomá-la nos braços e beijá-la como se tudo estivesse começando. Também, ele foi visto em conversas solitárias onde traçava um desfecho macabro para aquela situação. 

Para um punhado de vizinhos, tudo não passava de “ciúmes bestiais”.
Num determinado dia, depois de um histórico de espancamentos, o esposo de Alice a convidou para, como de costume, irem a uma caçada nas veredas de agreste da região. E como ela nada confirmou, ele bradou:
¬ _Tu tá é surda, Alice?
__Não. Cabisbaixa, ela resmungou.
Aquela era uma linda manhã de inverno. O sol já beijava as primeiras árvores retorcidas do cerrado e os pássaros cantarolavam metidos num estado de contentamento. Pareciam encantados com os encantos que pranteavam naquele corpo feminino.

Para sair, chamaram os cachorros caçadores, pegaram a ferramenta necessária e uma cabaça com água de cacimba. Alice foi ao seu quarto de dormida, agasalhou sua roupa dentro de uma mala de couro, fez o sinal da cruz em frente a uma pequena imagem de N.S. das Dores, olhou o entorno da casa e, aparentemente jururu, partiu para a lida. Ainda durante a caminha rumo ao ponto ideal, Alice, indo à frente, foi surpreendida por uma forte pancada desferida pelo esposo em sua região lombar. Ela caiu com os lábios na terra e parte de seu corpo sobre uma moita de tucum rasteiro. 

Caiu deixando soar uma sequencia de gritos estridentes de dores. E mesmo jogada ao chão o agressor a chutava sem piedade e soltava palavrões do tipo: “Você não presta”, “não merece ser minha muié”, “sua vagabunda”, “é uma traidora”, “tu e aquele sujeito se merecem”, “hoje tu me paga”, “depois será a vez dele”.

Enquanto isso, Alice sangrava em várias regiões de seu corpo, principalmente nariz e boca onde recebeu vários chutes. E ainda mais irado, ele avançou sobre a esposa e a segurou em suas longas madeixas. Segurou firme e a arrastou sobre o capim agreste, moitas diversas, pedras e tocos. Arrastou que arrastou. 

Enquanto isso ela clamava por todas as ajudas possíveis. Por onde o corpo de Alice era arrastado ia ficando um rastro de sangue, carnes e cabelos. O esposo, agora monstro, estava totalmente transtornado e transfigurado..
Depois de saciar sua sede assassina e percebendo que sua esposa estava desfalecida, ele procurou um buraco para esconder o corpo da “amada”. Depois de muito andar, encontrou uma moradia de peba verdadeiro. Ali depositou o que restou do corpo de Alice Almeida. Uma parte ficou do lado de fora. 

Após o ato de selvageria, ele se dirigiu para o casebre onde residia, pegou alguns pertences e depois saiu numa fuga sem destino certo. O corpo de Alice Almeida só foi encontrado dias depois quando já estava sendo devorado pelos urubus.
O assassino nunca foi encontrado. Dizem as boas memórias que ele tinha o poder de se tornar invisível. Quando a polícia encontrava fortes indícios de seu paradeiro, ele sempre conseguia se safar.

Muito tempo depois, no povoado Maliça, foi construída uma capela onde foram sepultados os restos de Alice. Muitas pessoas relatam que em momentos difíceis tiveram suas preces atendias por intercessão de Alice Almeida. Uma fonte do Anchieta Santana, informações do site da Prefeitura de Uruçuí-PI.


Em uma outra fonte de outro caso misterioso "Pajés Feiticeiros".

Um dia, quando as duas mulheres de Waytsó ìt foram à roça encontraram no caminho um rapaz bonito, todo enfeitado com colar, brinco, cinto. Quem será esse?, perguntaram entre si. Criando coragem, falaram com o desconhecido, indagando quem era, o que fazia ali. No que ele respondeu: sou o jacaré. Vim aqui para namorar vocês. Depois de muitos agrados ele foi com uma delas até o mato onde namoraram. Logo em seguida, levou a outra. Satisfeitos, se despediram. As moças o acompanharam até à beira da lagoa, onde ele se transformou em jacaré e mergulhou nas águas, prometendo voltar no dia seguinte..


O Lázaro invisível e misterioso

Foto/divulgação 


Lázaro Barbosa, chama atenção no Brasil inteiro de como tem habilidade e conhecimento de mata é um mateiro muito experiente sabe domar muito bem o cerrado.

As mais preparadas forças de segurança do país, tanto a polícia de Goiás, bem como do DF tivevam muito trabalho, acabou que a Força Nacional chegou para reforçar o apoio e pegar este indivíduo que é muito perigoso e habilidoso com "mata" parece que o marido de Alice Almeida, voltou encorporado em um Lázaro "invisível" no Cerrado, resta Oxóssi expulsar do mato e Deus quebrar as forças malignas dele. 


Oxóssi 


Oxóssi é uma divindade das religiões africanas, também conhecida como orixá, que representa o conhecimento e as florestas. -"Só Óxóssi e a inteligência das forças de segurança e o todo poderoso Deus e Jesus Cristo para localizar Lázaro", relatou uma senhora com grande evolução espiritual ao RANEWS



Documento elaborado por psicólogos

Agressividade, impulsividade e preocupações sexuais', diz laudo criminológico de Lázaro. Documento elaborado por psicólogos, em 2013, após Lázaro Barbosa de Sousa ser preso por estupro e roubo aponta características da personalidade dele. Documento diz que ele voltaria a 'delinquir'. G1

No vídeo no Correio Braziliense, é possível ver o momento em que policiais entram no córrego e os familiares são libertados por Lázaro. Vejam

Da Redação RANEWS 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Na Estrutural: Casal suspeito de tentativa de sequestrar crianças

Imagem de divulgação  De acordo com moradores de Estrutural Distrito Federal, nas casinhas, circulam um casal suspeito com intenção de sequestrar crianças num carro não identificado. Os boatos circulam por toda a Estrutural. Uma das vítimas contou que a mulher criminosa, desceu com uma enorme faca nas mãos, tentou sequestrar uma criança da própria mãe. Os criminosos, não tiveram êxito foram surpreendidos pelos moradores nas proximidades e fugiram. "Pessoas da cidade Estrutural e região das casinhas, está circulando um casal pela região num carro branco sem identificar a placa e modelo com intenção de sequestrar crianças, aconteceu um fato do casal criminoso querer tomar uma criança na manhã desta terça-feira (11/05), da mão própria mãe com a faca, o caso aconteceu nas casinhas na quadra 08 do Setor Oeste”, disse a moradora Gabriela Godoy. Caso se repita o crime. Denuncie: 197 - Polícia Civil e no 190 - PM-DF Redação: RANEWS e TV COMUNITÁRIA DE ESTRUTURAL - DF

Suspeito de chacina no DF é encontrado e troca tiros com a polícia

A perseguição contra Lázaro Barbosa de Sousa, acusado de matar 4 pessoas no DF, ocorre em Cocalzinho (GO), na noite deste sábado (12/6) As polícias Militar do Distirto Federal (PMDF) e de Goiás (PMGO) iniciaram, na noite deste sábado (12/6), um cerco contra o suspeito de matar quatro pessoas, em chacina ocorrida em Ceilândia, no Incra 9. Informações preliminares apontam que Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, roubou armas em uma fazenda à tarde . Ele fugiu com uma Beretta .22, uma pistola calibre .380 e 50 munições. homem foi localizado em Cocalzinho (GO) e, durante a perseguição, trocou tiros com a polícia. Informações preliminares apontam que três pessoas ficaram feridas e um refém estaria sob poder do criminoso. Lázaro é acusado de matar, na última quarta-feira (9/6), Cláudio Vidal de Oliveira, 48 anos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15. Ele ainda sequestrou Cleonice Marques de Andrade, 43 anos. O corpo dela foi encontrado neste sábado, em um matagal. O cad

GDF: as escutas telefônicas que aterrorizam alguns secretários

  8 out 2020 informações atualizada Por Mino Pedrosa A queda de braço velada entre o Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres e o governador Ibaneis Rocha (MDB-DF), vem causando pânico em alguns secretários nos bastidores. Há algumas semanas atrás o governador tomou conhecimento de que Anderson Torres incentivava o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) a fazer um pente fino em algumas secretarias informando que a “roubalheira é grande”. Ibaneis então ficou indignado ao ponto de imaginar cortar a cabeça do secretário infiel. No entanto, foi de pronto alertado por seus fiéis escudeiros de que seria um enorme tiro pela culatra. Em uma sóbria sondagem descobriu que Torres tem em suas mãos informações das mais de quatro mil horas de gravações em escutas telefônicas nas principais secretarias como educação e saúde, autorizadas pela justiça desde 2016, ainda na gestão de Rodrigo Rollemberg. As paredes dos gabinetes dão conta do desespero que