Pular para o conteúdo principal

Mulher estuprada por Lázaro diz que era ameaçada o tempo todo, veja histórico criminoso do maniaco

 


Antes de assassinar uma família inteira no Incra 9, em Ceilândia, Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, traumatizou outra família. Ao invadir uma chácara no Sol Nascente, em 2009, o homem contou com o apoio do irmão para prender todos e sequestrar uma jovem de 19 anos. Em entrevista ao Correio, a vítima, que hoje tem 30 anos, lembra dos momentos tensos que passou nas mãos do algoz. Além de ficar sob a mira de uma arma, ela foi estuprada por, pelo menos, três horas.

A mulher, que prefere não ser identificada, lembra que o dia começou como todos os outros, no pesque-pague onde morava e trabalhava. “Tudo ocorreu na chácara. Estávamos tranquilos em casa quando o Lázaro e o irmão dele, Deusdete (que está morto), invadiram com armas e facões”, diz. O ataque ocorreu por volta das 2h. Eles ficaram cerca de uma hora na casa procurando dinheiro e itens para roubar. “Eu, tios e primos ficamos o tempo todo sob a mira das armas, apanhando e sendo xingados por eles.”

Como não encontraram dinheiro, Lázaro e o irmão prenderam os integrantes da casa no banheiro. “Nos mandaram tirar a roupa e trancaram todos no banheiro. Continuaram procurando coisas e até tentaram roubar os quatro carros que estavam no local, mas não conseguiram”, relata a vítima. Ela acredita que a frustração irritou os irmãos

Sem conseguir roubar itens muito valiosos, os dois voltaram ao banheiro e pegaram apenas a jovem. Já despida, a mulher foi levada pelos irmãos até o Córrego das Corujas, que fica próximo da região. O local é o mesmo onde o corpo de Cleonice Marques, 43 anos, uma das pessoas mortas por Lázaro, em 9 de junho, foi encontrado no último sábado. “Aí começou o terror”, diz a mulher violentada há 12 anos.

“Além de me baterem, continuarem me diminuindo como mulher, xingando a todo tempo, infelizmente, eles me violentaram. Me estupraram. Era ameaçada o tempo todo”, lembra. Ela conta que chegou a tentar conversar com os homens, mas eles só a deixaram ir quando viram um helicóptero da polícia. “Ficaram muito nervosos. Eles me mandaram levantar e dar 10 passos para frente. Tinha certeza de que ia morrer, de que atirariam em mim”, conta. Porém, quando ela olhou para trás, os homens estavam fugindo. Após isso, Lázaro só foi preso em Pirenópolis (GO), onde ela foi reconhecê-lo.

Mudanças

Depois do ocorrido, a mulher e a família saíram da chácara e da região. “Foi um momento muito traumático, não conseguia mais entrar em casa. Mudou muito minha cabeça”, conta. Apesar disso, felizmente, ela conseguiu seguir bem a vida. “Depois, tive uma filha com meu esposo, estava morando em outra região. Até que lidei bem com isso, achava que ele estava preso”, afirma.

Porém, a sensação de paz, só durou até o nome e o rosto de Lázaro dominarem os noticiários. “Fiquei assustada, com medo de reencontrá-lo. Não sei como um homem desse está fora da cadeia”, diz. Mesmo sem ter encontrado o agressor novamente, ela sente os impactos psicológicos. “Estou há três dias sem dormir”, diz, emocionada. Angustiada, ela espera que Lázaro seja capturado o mais breve possível.


Outro estupro

Além desse estupro em 2009, em 26 de abril deste ano, Lázaro violou sexualmente outra mulher. A vítima de 39 anos, estava em casa, no Sol Nascente, com o marido e o filho quando, por volta das 2h, Lázaro invadiu o local. Ele prendeu os homens em um quarto e roubou os celulares de todos. Depois, levou a mulher a uma área de mata fechada, onde a estuprou. Depois, foi embora e estava foragido desde então.

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher 2 (Deam 2) ficou responsável pelo caso. “Ele agiu do mesmo jeito (nos crimes). Ele estava armado e abusou da vítima com graves ameaças e violências”, diz a delegada-chefe da unidade, Adriana Romana. Segundo ela, uma das provas que a equipe tem confirma a autoria do crime. “A evidência foi confirmada no mesmo dia em que ocorreu a chacina no Incra 9”, completa.

A delegada conta que essa vítima está muito abalada. “Além de ser muito recente, quando surgiram esses outros crimes dele e essa busca por ele, ela ficou muito mais frágil”, diz Adriana. Ela afirma que as investigações desse caso ainda estão em andamento, mas reforça que a polícia está convicta da autoria de Lázaro.

No oitavo dia de buscas, foi divulgado um vídeo do momento em que os últimos reféns de Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, foram resgatados pela polícia. Nas imagens é possível ver quando os agentes de segurança avistam as três pessoas próximas a um córrego, em Edilândia (GO). “As vítimas estão bem”, avisa um dos policiais que participou do resgate. O vídeo é da última terça-feira, quando Lázaro invadiu uma chácara na região e fez a família refém.

Nas imagens, os policiais entram no córrego e os familiares são libertados por Lázaro. O homem trocou tiros com a polícia e baleou um policial militar do Estado de Goiás de raspão no rosto. O PM foi socorrido no Hospital de Anápolis pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros.

Um dia antes de a família se tornar refém, os policiais estiveram na chácara enquanto buscavam pelo foragido. Um dos agentes deixou o número de celular para a família. Quando Lázaro invadiu a residência, durante a tarde de terça-feira, um policial penal recebeu a mensagem da filha dos proprietários. O texto dizia: “Socorro, o assassino Lázaro está aqui”.

A menina teria ouvido um barulho estranho e avistou o suspeito de longe, quando correu, se escondeu debaixo da cama e, assim, conseguiu enviar a mensagem. Os policiais chegaram poucos minutos depois e se depararam com Lázaro mantendo três pessoas como reféns. O suspeito disparou contra um dos integrantes da equipe e fugiu por dentro da mata.


Dois ataques em 15 dias

Antes de cometer os assassinatos de 9 de junho, Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, teve um primeiro contato com a família Vidal. Segundo amigos dos parentes de Cláudio Vidal, 48, Gustavo Marques Vidal, 21, Carlos Eduardo Marques Vidal, 15, e Cleonice Marques, 43, mortos na chacina, Lázaro invadiu, 15 dias antes do crime, a casa de um irmão de Cláudio. A residência fica ao lado da casa onde a família foi morta, duas semanas depois.

Um homem de 63 anos que trabalha com a família há cerca de três décadas e pediu para não ser identificado conta que Lázaro, na época, invadiu o local, fez três pessoas reféns e fez com que cozinhassem para ele. Depois, ele apenas foi embora. “Meia-noite, ele foi embora. O restante da família não ficou assustada porque ele não feriu ninguém e não esperavam que ocorresse de novo. Por isso, não pensaram em reforçar a segurança ou tomar alguma providência semelhante”, conta.

Cerca de duas semanas depois, a família foi surpreendida com um novo ataque de Lázaro. Como os irmãos de Cláudio moravam no mesmo terreno, eles chegaram rapidamente ao local, mas a chacina já tinha ocorrido. “Foi muito rápido. Um dos irmãos disse que recebeu uma ligação de Cleonice pedindo socorro, pois estariam invadindo. Na mesma hora, ele ligou para o sobrinho, que estava na outra casa, e os dois foram tentar socorrê-la. Quando eles chegaram, todos estavam mortos e a Cleonice, desaparecida”, conta o homem.

Após o desenrolar dos fatos e do velório das vítimas, os parentes saíram do terreno no qual o crime ocorreu. “Eles alugaram casas em outros locais do DF e estão retirando os pertences daqui. Vão definir se vendem o que construíram aqui”, diz o amigo da família. Ainda segundo ele, a casa de Cleonice e Cláudio deve ser demolida. “Foi um trauma muito grande, ninguém vai aguentar morar na casa. O negócio deles, ninguém deve assumir também, devem vender”, completa. O homem conta que ficou assustado com o ocorrido. “Eles eram fortes. Não consigo acreditar que um homem só conseguiu fazer esse estrago todo”, diz.


Medo

Além do medo da família das vítimas, os trabalhadores, que, por enquanto, permanecem no local, sentem-se amedrontados. “Claro que temos medo. Vai que esse cara volta para cá e nós estamos aqui”, disse um dos homens que estão no terreno. Pelo temor, eles preferem permanecer no anonimato. “Ficamos pensando como que não o pegaram até agora”, continua.

Atualmente, os portões das casas da família, assim como o negócio deles, permanecem fechados. Na residência, os trabalhadores contam que a família juntou os itens pessoais, mas ainda há coisas para tirar. Por segurança, os parentes não contaram onde estão morando e não deixaram contatos.


Com informações do Correio Brasiliense

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto que o Brasil precisa

Willian Gonçalves Faria - Foto/divulgação       Willian Gonçalves faria, natural de Patos de Minas MG, 28 anos de idade, morador de São de Sebastião Distrito Federal , vem lutando pela melhoria das políticas pública de educação tem um projeto de sua autoria que percorre esferas do governo federal em prol da educação. O projeto: ”Ensino de Portas Abertas a Arte, Cultura e Inovação” – trabalhando o conceito vida consiste em introduzir dentro da matriz escolar soluções positivas junto a crianças e adolescentes apoiado pelos professores. Sendo construído em sala de aula em troca mútua de conhecimento, ou seja, o projeto consiste em inserir no dia a dia da escola ações que possibilitem tomadas de decisões com situações reais que acontecem no país. William Gonçalves Faria - Foto/divulgação  O jovem oriundo do Estado de JK, visionário igualmente ao presidente construtor da capital Federal conhecedor e experiente nas lutas e discurssões sociais por meio de ONGs e entidades representativas ecle

Moradores encontram cabeça decapitada em praça no Entorno do DF

 A  vítima foi identificada como Randerson Maximo Barbosa. A Polícia Civil do Estado de Goiás busca pelos autores do crime Por Darcianne Diogo 02/07/2021 23:29 - Atualizado Material cedido ao Correio Moradores encontraram, na noite dessa sexta-feira (2/7), uma cabeça decapitada na Praça Santa Lúcia, em Águas Lindas de Goiás — distante cerca de 48km de Brasília. Até a última atualização dessa reportagem, ninguém havia sido preso. O corpo não foi encontrado. Testemunhas relataram à reportagem que passavam pela área, quando se depararam com a cabeça. A perícia da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) foi acionada e está no local. A vítima foi identificada como Randerson Maximo Barbosa. A polícia apura a motivação do crime. Ao longo das investigações, surgiu-se a informação de que o membro poderia ser do jovem, de 19 anos, assassinado em 13 de maio. O corpo de Mateus dos Santos Sousa foi encontrado decapitado em um córrego, na região de Brazlândia, próximo à Ponte Maranata, a 200 me

GDF lança edital para construção de creche na Estrutural

O Governo do Distrito Federal (GDF) publicou no Diário Oficial DF (DODF) o edital de concorrência para a construção de um Centro de Educação para a Primeira Infância (Cepi), na Cidade Estrutural. O espaço, que terá capacidade para receber até 188 crianças, foi orçado em R$ 3,4 milhões e deverá ser entregue à população no segundo semestre de 2022. A região reivindica há anos a existência de novas creches. Atualmente, segundo o governo, cerca de 276 crianças estudam em creches conveniadas justamente por falta de espaço público. Com a construção do Cepi, que vai ser edificado na Quadra 3, Área Especial 2, no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento, o governo pretende atender as crianças em dois turnos ou em turno integral. O novo Cepi será constituído de cinco salas para atendimento à faixa etária de zero a seis anos; salas multiuso e administrativas, fraldário, lactário, sanitários, cozinha, refeitório, playground, fechamentos com gradil, portões e muro; calçadas, rampas, estacio